quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Audiência: Papa ressalta a Crisma, "dom de Deus que nos ajuda a viver como cristãos"



Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco encontrou-se, na manhã desta quarta-feira, na Praça São Pedro, com numerosos peregrinos e fiéis, de diversas partes do mundo, para a habitual Audiência Geral.

Em sua catequese semanal, o Santo Padre continuou a tratar do Sacramento da Confirmação ou Crisma, que deve ser entendido como continuação do Batismo, ao qual está igado de modo inseparável. Ambos os Sacramentos, junto com a Eucaristia, formam um único evento salvífico – a iniciação cristã – no qual somos inseridos por meio de Jesus Cristo, morto e ressuscitado, que nos tornam novas criaturas e membros da Igreja.

Eis porque, disse o Papa, estes três Sacramentos são celebrados em um único momento, ao término do caminho catecumenal, geralmente na Vigília Pascal. Assim era selado o percurso de formação e de gradual inserção na comunidade cristã, que podia durar até alguns anos. Era feito passo a passo até chegar ao Batismo, depois à Crisma e à Eucaristia:

Geralmente, se fala de sacramento da Crisma, que significa Unção. De fato, explico o Pontífice, através do óleo do Crisma somos conformados, pelo poder do Espírito, a Jesus Cristo, o único e verdadeiro ungido, o Messias, o Santo de Deus”.

O termo Confirmação recorda-nos também que este Sacramento contribui para um aumento da graça batismal: ele nos une de modo mais sólido a Cristo; leva ao cumprimento a nossa união com a Igreja; dá-nos uma força especial do Espírito Santo para difundir e defender a fé, confessar o nome de Cristo e jamais termos vergonha da sua cruz.

Por isso, é importante que as crianças recebam este sacramento do Batismo, mas também da Crisma, para que seu caminho seja completo e recebam o Espírito Santo. "Se vocês tiverem em casa, disse o Papa, crianças que ainda não receberam estes Sacramentos, façam todo o possível para percorrer o caminho da iniciação cristã e recebam a força do Espírito Santo." E o Pontífice acrescentou:

Naturalmente, é importante oferecer aos crismandos uma boa preparação, que deve visar uma adesão pessoal à fé em Cristo e a despertar neles o sentido de pertença à Igreja. A Confirmação, como todo Sacramento, não é obra dos homens, mas de Deus, que cuida da nossa vida, de modo a plasmar-nos à imagem do seu Filho, tornando-nos capazes de amar como Ele amou”.

Este Sacramento, afirmou o Papa, infunde em nós seu Espírito Santo, cuja ação permeia toda a pessoa e toda a vida, como transparece nos sete dons que a Tradição, à luz da Sagrada Escritura, sempre colocou em evidência. Estes sete dons são: Sabedoria, Inteligência, Conselho, Fortaleza, Ciência, Piedade e Temor de Deus.

O Santo Padre disse aos presentes na Praça São Pedro que vai dedicar suas próximas catequeses, depois dos Sacramentos, a estes dons do Espírito Santo.

O Papa Francisco concluiu sua catequese de hoje exortando os fiéis a acolherem o Espírito em nossos corações e a deixá-lo agir. Através de nós, será Ele a rezar, perdoar, infundir a esperança e a consolação, a servir os irmãos, a tornar-se próximo dos necessitados e dos últimos, a criar comunhão, a semear a paz. Lembremos sempre, afirmou o Papa, que por meio do Espírito Santo, Cristo realiza em nós e em meio a nós. Eis a importância de as crianças receberem o Sacramento da Crisma.

Ao término da Audiência Geral, o Pontífice pediu aos presentes para recordar-se sempre do Sacramento da Confirmação, agradecer a Deus por este dom e pedir-lhe ajuda para viver como verdadeiros cristãos, caminhando sempre com alegria, segundo o Espírito divino.

Por fim, foi feito um resumo da sua catequese em diversas línguas, inclusive em português. Aos presentes de língua portuguesa, o Papa disse:

Queridos peregrinos de língua portuguesa: uma cordial saudação para todos! Lembrai-vos de agradecer o Senhor pelo dom do sacramento da Crisma, pedindo-Lhe que vos ajude a viverdes sempre come verdadeiros cristãos, para confessar por todo o lado o nome de Cristo! Desça sobre vós a Bênção do Senhor!”.
Ao saudar os peregrinos de língua italiana, Francisco dirigiu-se em particular às Fundações Associadas à Consulta Nacional Anti-usura, guiadas pelo Arcebispo de Bari, Dom Francesco Cacucci, desejando que “possam intensificar o seu trabalho ao lado das vítimas da usura, dramática praga social”. “Quando uma família não tem o que comer porque deve pagar a taxa aos agiotas – advertiu o Pontífice -, isto não é cristão, não é humano! E esta dramática praga social fere a dignidade inviolável da pessoa humana”.

Participaram da Audiência Geral, entre outros, 350 pessoas pertencentes ao mundo do espetáculo itinerante, provenientes do Trivêneto, acompanhados pelo Cardeal Antonio Maria Vegliò, Presidente do Pontifício Conselho para os Migrantes e os Itinerantes.

Os circenses, malabaristas, feirantes e agentes de parques de diversão participam da audiência papal por ocasião da festa de São João Bosco, no próximo dia 31 de janeiro, padroeiro do circo e dos trabalhadores de parques e feiras.

A maioria dos participantes é proveniente da região de Rovigo, nordeste da Itália, conhecida como "a terra dos parques de diversão”, devido à presença de fábricas, Museu de carrosséis, espetáculos populares, e das muitas famílias, que trabalham nos espetáculos itinerantes. (MT)

Fonte: Rádio Vaticano

sábado, 25 de janeiro de 2014

Encontro 19.01.2014


Irmãos,

Paz e bem!

No dia 19 de janeiro tivemos na Celebração Eucarística das 9 horas presidida pelo Frei Alvaci Mendes da Luz, OFM, o Rito ao Período de Iniciação na OFS dos irmãos Uilson e Vitor Augusto. Eles deram o passo inicial para a caminhada franciscana na Fraternidade das Chagas.

Contamos também com a visita de um grupo de jovens do Campo Limpo Paulista que estão sendo acompanhados pela Jufra das Chagas para uma futura Fraternidade da Juventude franciscana em São Paulo.

Ao final da missa rezamos em ação de graças pelos novos irmãos que chegam para fazer conosco a experiência da Vida em Fraternidade.

Depois nos dirigimos ao refeitório para saborearmos o costumeiro café franciscano e depois tivemos nosso encontro de formação com o tema: Apóstolo Mateus.

Por tudo Deus seja louvado!     

Maria Nascimento
 







 

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Audiência: "As divisões entre os cristãos são um escândalo a superar"



Cidade do Vaticano (RV) – Cerca de 15 mil pessoas participaram esta quarta-feira da Audiência Geral com o Papa Francisco, na Praça S. Pedro, apesar da chuva.

A catequese do Pontífice foi dedicada à Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, em andamento nos países do hemisfério norte (no Brasil, essa Semana é realizada entre Ascensão e Pentecostes) – uma tradição que se repete há mais de 100 anos.

Anualmente, um grupo ecumênico de uma região do mundo sugere um tema e prepara subsídios para a Semana, sob a guia do Conselho Mundial de Igrejas e do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos. Em 2014, os subsídios foram preparados pelas Igrejas e comunidades cristãs do Canadá e têm como referência a pergunta dirigida por São Paulo aos cristãos de Coríntio: “Cristo estaria dividido?” (1 Cor 1,13).

“Certamente não”, respondeu Francisco. Todavia, “devemos reconhecer sinceramente, com dor, que as nossas comunidades continuam a viver divisões que provocam escândalo”.

“O nome de Cristo cria comunhão e unidade, não divisão!”, prosseguiu o Papa, explicando que o Batismo e a Cruz são elementos centrais do discipulado cristão que temos em comum. “As divisões, ao invés, enfraquecem a credibilidade e a eficácia do nosso empenho de evangelização e correm o risco de esvaziar a Cruz da sua potência.”

Paulo repreende os coríntios por suas brigas, mas dá graças a Deus por eles terem sido cumulados de todas as riquezas, todas as da palavra e as do conhecimento. Para Francisco, esta atitude do Apóstolo é um encorajamento para nós e para cada comunidade cristã a reconhecer com alegria os dons de Deus presentes em outras comunidades. “Não obstante o sofrimento das divisões, acolhamos as palavras de Paulo como um convite a alegrarmo-nos sinceramente das graças concedidas por Deus a outros cristãos.”

Nos subsídios preparados pelas comunidades cristãs do Canadá, há um convite não a pensar naquilo que podemos dar aos nossos vizinhos cristãos, mas a encontrar-se para compreender aquilo que cada uma das comunidades pode receber das outras. “Para isso, requer-se humildade, reflexão e contínua conversão”, afirmou o Pontífice.

Após a catequese, o Papa saudou os vários grupos presentes na Praça; entre eles, os sacerdotes da Diocese de Catanduva (SP) e os participantes do encontro anual dos coordenadores regionais do Apostolado do Mar, exortando-os a serem a voz dos trabalhadores que vivem longe de suas famílias e enfrentam situação de perigo e dificuldade.

Francisco recordou ainda o encerramento, no próximo sábado, da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, festa da Conversão de São Paulo. A Rádio Vaticano transmitirá esta cerimônia ao vivo, direto da Basílica de São Paulo Fora dos Muros, a partir das 17h20 (14h20 – horário de Brasília), com comentários em português.


Fonte: Rádio Vaticano

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Visita do SEI - 2014


Irmãos e irmãs,

Paz e bem!

Recentemente fiz algumas visitas aos nossos irmãos do SEI (Serviço aos enfermos e idosos).

No primeiro domingo de dezembro fui juntamente com a irmã Wilma visitar o irmão  Sebastião Ignácio Machado que reside na zona oeste. Ele tem 93 anos e 76 de profissão na OFS. Está afastado há muito tempo por motivos de trabalhos paroquiais. Conversamos e ele manifestou o desejo de continuar no carisma franciscano. Aprovamos em Conselho e ele foi reintegrado á Vida fraterna. Como tem idade bastante avançada, foi incluído no SEI. Ele receberá visitas, telefonemas e correspondências da fraternidade. Fiquei muito feliz por revê-lo depois de tantos anos. A família agradeceu muito nosso empenho em resgatar o irmão mais antigo da fraternidade. 

No dia 27 de dezembro estive juntamente com a irmã Elenívea no Centro de promoção humana – Lar Vicentino para visitar as irmãs, Helena e Maria Madalena Salomé. Elas estão bem.  A Salomé chegou ao lar no dia 22 de dezembro, saindo direto do hospital para o asilo. Ela está feliz, porque de agora em diante dependerá de cuidados profissionais, e está em boas mãos. A Helena tem 91 anos e 66 de profissão na OFS. A Salomé tem 86 anos e 41 de profissão na OFS. Conversamos, tiramos fotos. Agradecemos ao Lar Vicentino por amparar e cuidar de nossas irmãs.

No dia 11 de janeiro fui juntamente com a irmã Wilma visitar o irmão Maurício Sanches que está residindo na Cidade de Botucatu/SP com os familiares de seu irmão Ezequiel desde o encerramento das atividades da Casa São Francisco em 2012.  Ele está bem, tem 86 anos e 48 de profissão na OFS. Ele e sua família nos receberam com alegria no coração, almoçamos, conversamos, tiramos fotos.  Agradecemos aos seus familiares que o receberam prontamente na alegria e cuidados para com ele.

E o Senhor me deu irmãos...!

Por tudo Deus seja louvado!

Maria Nascimento
 













domingo, 12 de janeiro de 2014

Momentos para recordar


Ano de 2002

1ª Eucaristia alunos do Externato São Francisco
Celebrante Frei Antonio Gasparini












quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

"É preciso despertar a memória do Batismo"


Cidade do Vaticano (RV) – Depois das festividades de Natal, o Papa Francisco acolheu esta manhã milhares de peregrinos, na Praça S. Pedro, para a primeira Audiência Geral de 2014.

O Pontífice anunciou o início de uma série de catequeses sobre os Sacramentos, começando pelo Batismo.

O Batismo, juntamente com a Eucaristia e a Confirmação, forma a chamada “iniciação cristã”, que nos configura com o Senhor Jesus e faz de nós um sinal vivo da sua presença e do seu amor.

“O Batismo é realmente necessário para viver como cristãos e seguir Jesus?”, questionou o Papa, que respondeu:

Não se trata de mera formalidade! Uma criança batizada não é igual a uma criança não batizada. No Batismo, somos imersos naquela fonte inexaurível de vida que é a morte de Jesus, o maior ato de amor de toda a história; e, em virtude deste amor, podemos viver uma vida nova de comunhão com Deus e com os irmãos, e não ficar à mercê do mal, do pecado e da morte.

Muitos de nós não têm a menor lembrança da celebração deste dia, já que fomos batizados pouco depois do nascimento. E mais uma vez o Pontífice pediu aos fiéis que, ao regressarem a suas casas, procurem saber a data em que foram batizados.

O risco, advertiu Francisco, é perder a consciência daquilo que o Senhor fez em nós, do dom que recebemos. Então acabamos por considerá-lo somente como um evento que ocorreu no passado — e nem mesmo por nossa vontade, mas dos nossos pais —, motivo pelo qual não tem mais nenhuma incidência sobre o presente. Ao invés, somos chamados a viver o nosso Batismo todos os dias, como realidade atual na nossa existência. "Devemos despertar a memória do Batismo", pediu o Papa.
Se conseguimos seguir Jesus e permanecer na Igreja, não obstante os nossos limites e as nossas fragilidades, é por obra do Sacramento no qual nos tornamos novas criaturas e fomos revestidos de Cristo. Graças ao Batismo, somos portadores de uma esperança nova, que nada e ninguém pode apagar; somos capazes de perdoar e de amar inclusive quem nos ofende e nos faz mal; conseguimos reconhecer nos últimos e nos pobres a face do Senhor que nos visita e se faz próximo.
“Ninguém pode batizar-se a si mesmo”, concluiu. Podemos pedir e desejar o Batismo, mas sempre precisamos de alguém que nos administre este sacramento em nome do Senhor. É um dom concedido num contexto de solicitude e partilha fraterna.

Peçamos ao Senhor que nos faça experimentar cada vez mais, na vida diária, a graça recebida no Batismo. Quando os outros se cruzarem conosco, possam encontrar verdadeiros filhos de Deus, verdadeiros irmãos e irmãs de Jesus, verdadeiros membros da Igreja.

Na saudação aos fiéis, o Papa assistiu a uma apresentação do "Golden Circus", que dedica esta temporada à cultura latino-americana. Entre os integrantes, havia um brasileiro.


Fonte: Rádio Vaticano

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Dia de Reis


Deus faz nascer uma estrela , a indicar o caminho até seu Filho.

Os presentes dos  Reis Magos nos indicam quem é o menino recém-nascido, ajudando-nos a compreender sua missão.

O ouro indica que ele é o verdadeiro rei, diferente dos reis da terra, pois Jesus vem instaurar o reinado de Deus pelo perdão e pela justiça.

O incenso indica que ele é Deus e como tal deve ser adorado, em seu infinito poder de amar e dar a vida.


A mirra indica a natureza humana de Jesus, Deus que se encarna, assume a condição humana, sofre até as ultimas consequências e dá a vida na cruz.