terça-feira, 27 de maio de 2014

Missa de Reabertura






Irmãos e irmãs,


Paz e bem!


Segue o convite em anexo da Missa de reabertura da Igreja das Chagas.  
Depois da cerimônia de reabertura com o Governador, demais autoridades e imprensa, chega o momento solene do Rei dos Reis tomar posse de seu lugar de honra no Sacrário!
Estejamos todos com a alegria de participar da Santa Missa após uma espera com mais de 7 anos naquela igreja.
   
Deus seja louvado!



Igreja de São Francisco é restaurada após passar sete anos fechada em SP

Cupins abalaram estrutura do templo projetado por Frei Galvão.
Igreja da Terceira Ordem teve última reforma concluída em 1788.

A Igreja Ordem Terceira de São Francisco, no Centro de São Paulo, foi reaberta aos fiéis nesta sexta-feira (23) após ficar fechada por sete anos. A restauração, que começou em 2010, foi paga pelo governo de São Paulo. O templo estava interditado desde 2007 porque sua estrutura foi comprometida por uma infestação de cupins.

Projetada por Frei Galvão (o primeiro santo brasileiro), o templo foi construído no século 18 em taipa de pilão. O trabalho de restauro custou R$ 12 milhões.

De acordo com os responsáveis pela obra, a edificação teve toda sua estrutura restaurada na primeira fase das obras, concluída em 2011, quando a madeira comprometida pela infestação foi substituída por estrutura metálica.

A segunda fase do restauro começou em abril de 2013. Nela foram realizados os serviços necessários para a reabertura da Igreja, como restauro das esquadrias de madeira e instalações de escadas metálicas, entre outros pontos.

De acordo com a arquiteta responsável pelo projeto, Fernanda Lago, que coordenou os trabalhos realizados pela empresa Concrejato, a terceira fase contou com 80 funcionários.

Na mesma época foram feitos serviços de restauro das fachadas, guarda corpos de vidro e piso da entrada principal. Outra etapa ainda será necessária para restauração da área artística.

Segundo a arquiteta, durante as obras foram encontradas pinturas feitas ao longo dos séculos que agora serão exibidas como testemunho das intervenções pelas quais passou a edificação. A igreja retoma suas atividades normais em julho deste ano, com missa presidida pelo arcebispo Dom Odilo Scherer.




sábado, 24 de maio de 2014

"A Igreja e os irmãos juntos outra vez"


A Venerável Ordem Terceira de São Francisco - Fraternidade das Chagas
 foi reaberta aos fiéis nesta sexta-feira  dia 23 após ficar fechada por sete anos. A restauração, que começou em 2010, foi paga pelo governo de São Paulo. O templo estava interditado desde 2007 porque sua estrutura foi comprometida por uma infestação de cupins.
Projetada por Frei Galvão primeiro santo brasileiro, o templo foi construído no século 18 em taipa de pilão
. A igreja retoma suas atividades normais,
 A primeira  missa será presidida pelo arcebispo Dom Odilo Scherer.















segunda-feira, 19 de maio de 2014

Devoção franciscana para com a Virgem


Em sua “devoção” Francisco une Maria a Jesus, seu filho.
69. – A bem-aventurada Virgem Maria é tão honrada – como é justo – porque trouxe Cristo em seu seio abençoado. (III Carta, 21) 

70. – O Verbo do Pai, tão digno, tão santo e glorioso, de quem o Pai anunciou a chegada, por seu Santo arcanjo Gabriel, à santa e gloriosa Virgem Maria, do seio da qual o Verbo recebeu verdadeiramente a carne de nossa humanidade frágil. (1 Carta, 4) 

Ela foi escolhida e consagrada por Deus. 
71. – SALVE, Mãe de Deus, ó Maria. Escolhida pelo santíssimo Pai do céu, o qual vos consagrou com seu dileto e santíssimo Filho e o Espírito Santo Consolador… Salve, Palácio de Deus! Salve, Tabernáculo de Deus! Salve, Casa de Deus! Salve, Traje de Deus! Salve, Serva de Deus Salve, Mãe de Deus! (Saudação à SS. Virgem, 2,4,5) 

Ela recebeu a graça e a santidade em plenitude. 
72. – Ó Maria, Virgem Santíssima, não há outra semelhante, nascida neste mundo, entre as mulheres; filha e serva do Rei altíssimo, o Pai celeste; mãe de Jesus Cristo, nosso Senhor; esposa do Espírito Santo. (Of. da Paixão, 12) 

73. – Salve, Senhora Santa, Rainha Santíssima, Mãe de Deus, ó Maria, que sois a Virgem perpétua… Vós em quem houve e permanece Toda a plenitude de graça e todo bem. (Saudação à SS. Virgem, 1,3) 

Ela é nossa advogada junto de Deus
74. – Francisco amava a Mãe do Senhor Jesus com um amor indizível, pois foi ela quem nos deu como irmão o Senhor de majestade e por ela obtivemos misericórdia. (Boav., IX, 3) 

75. – “Em Rivo Torto não temos nenhuma igreja em que possamos rezar o Ofício e louvar a Deus e sua Mãe Santíssima, a quem sempre pedimos que seja nossa advogada”. (Fioretti, ad. II) 

76. – O homem de Deus tinha uma devoção fervente por Maria, Senhora do Mundo… Fixou-se em Porciúncula por causa de seu amor pela Mãe de Cristo. Amou sempre este lugar mais do que qualquer outro no mundo. . . ; foi este lugar que, ao morrer, confiou aos irmãos como particularmente caro à Virgem… Foi neste lugar que Francisco, impelido por Deus que lhe revelou sua vontade, fundou sua Ordem dos Frades Menores. (Boav., II, 8) 

77. – Não convinha que o nascimento de uma Ordem de virgens… se desse num outro lugar que não num templo consagrado à primeira, e à mais digna de todas as mulheres, a única que é virgem e mãe ao mesmo tempo, no mesmo lugar em que a nova cavalaria dos pobres começa a exercitar-se gloriosamente sob a ordem de Francisco. Desta maneira, a Mãe de misericórdia mostrava claramente a todos que era ela que, em seu santuário, dava origem à primeira como à segunda Ordem. (Vida de Clara, 8) 

78. – Ordeno a todos os meus irmãos, quaisquer que sejam, aos atuais e aos vindouros, que a honrem e glorifiquem sempre, de todo jeito e de toda maneira que for possível, e de tê-la em muito grande devoção e veneração. Quero ainda que sejamos sempre seus fiéis servos. (Fioretti, ad. II) 

79. – Inventava louvores para ela, fazia chegar suas orações até ela, consagrava-lhe os impulsos de seu coração: nenhuma língua humana saberia dizer quantas vezes e com que fervor. (II Celano, 198) 

Imita-lhe as virtudes 
80. – Pouco antes de morrer escreveu-nos dos, mais uma vez sua última vontade; “Eu, o pequeno irmão Francisco, quero seguir a vida e a pobreza de nosso altíssimo Senhor Jesus Cristo e de sua Santíssima Mãe, e quero perseverar neste caminho até a morte. (R. de Clara, VI) 

81. – E quando for necessário, que vão pedir esmola… “pois pobre e peregrino, viveu de esmolas, Ele, e a bem-aventurada Virgem, e seus discípulos”. (1 Regra, IX, 6) 

82. – “Se não puderes atender de outro modo as necessidades dos irmãos, despoja o altar da Virgem e tira-lhe os enfeites. Crê-me: ela ficará muito mais contente em ver o Evangelho de seu Filho observado e seu altar despojado, do que seu altar enfeitado e seu Filho desprezado”. (II Celano, 67) 

Recorre à proteção dela 
83. Francisco permaneceu algum tempo na dela igreja da Virgem Mãe de Deus, pedindo-lhe, com súplicas incessantes e contínuas, a graça de tornar-se o protegido dela. (Boav., III, 1) 

84. – Depois de Cristo colocava sua confiança em Maria e a escolheu como padroeira sua e dos seus.(Boav., IX, 3) 

85. – Francisco, estigmatizado, despediu-se do Alverne dizendo: “adeus, Santa Maria dos Anjos do Alverne: – eu te recomendo estes meus filhos, ó Mãe do Verbo eterno”. (Fioretti, ad. XX)

Fonte: www.franciscanos.org.br

quarta-feira, 14 de maio de 2014

ICD - Projeto de restauração da Igreja da Ordem Terceira de São Francisc...

História Igreja Ordem Terceira

video

Visita do Secretário da Cultura de S.P.

Irmãos,
Paz e bem!

No dia 07/05/14 o Secretário da Cultura do Estado de São Paulo, Sr. Marcelo Mattos Araújo esteve juntamente com os representantes do Condephaat, Concrejato, Formarte e da Ordem em visita às Obras de Restauro da Igreja das Chagas.

Ele gostou muito e parabenizou a todos pelo belo trabalho realizado na Igreja.

Agora estamos na reta final de reabertura da Igreja.

Ela está realmente linda!!!

Deus seja louvado!

Maria Nascimento




segunda-feira, 12 de maio de 2014

Cora Coralina

Não sei se a vida é curta ou longa para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas.
Muitas vezes basta ser: colo que acolhe, braço que envolve, palavra que conforta, silêncio que respeita, alegria que contagia, lágrima que corre, olhar que acaricia, desejo que sacia, amor que promove.
E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida. É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais, mas que seja intensa, verdadeira, pura enquanto durar. Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina. 

Cora Coralina

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Oração OFS/JUFRA para Maio


Audiência: através do dom do conselho, Deus nos faz entender o caminho a seguir.


Cidade do Vaticano (RV) – A Praça S. Pedro acolheu esta manhã de 07/05/2014 cerca de 60 mil peregrinos para a Audiência Geral com o Papa Francisco.

Como faz habitualmente antes de pronunciar sua catequese, por quase meia-hora, o Pontífice percorreu a Praça em seu papamóvel para saudar a multidão – momento em que os fiéis têm o contato mais próximo com Francisco, que retribui o carinho e o entusiasmo abençoando-os e beijando as crianças.

Prosseguindo a série de catequeses sobre os sete dons do Espírito Santo, nesta quarta o Papa falou sobre o “conselho” – o dom que nos torna capazes de fazer a escolha certa no nosso dia-a-dia, seguindo a lógica de Jesus e do seu Evangelho.

O conselho, então, é o dom com o qual o Espírito Santo torna a nossa consciência capaz de fazer uma escolha concreta em comunhão com Deus. Ele nos torna sensíveis à sua voz e orienta os nossos pensamentos, fazendo-nos assim crescer interiormente, para não nos deixar agir à mercê do egoísmo e do próprio modo de ver as coisas.
Para isso, é essencial na nossa vida a oração, pois ela nos torna dóceis a esta voz, fazendo com que deixemos de lado a nossa lógica pessoal, cheia de limitações, permitindo que mature em nós uma sintonia profunda com o Espírito.

“Sempre voltamos ao mesmo ponto. A oração. Rezar é tão importante”, disse Francisco, afirmando que devemos rezar não somente as orações que aprendemos quando crianças, mas também usando as nossas palavras, pedindo ajuda e conselho.

Ninguém percebe quando nós rezamos no ônibus, na rua: rezemos em silêncio, com o coração, aproveitando desses momentos para rezar. Rezar para que o Espírito nos dê este dom do conselho.
Como todos os outros dons do Espírito, também o conselho constitui um tesouro para toda a comunidade cristã, pois podemos escutar a voz do Senhor através dos nossos irmãos: é um grande dom poder contar com homens e mulheres que nos ajudam a reconhecer a vontade de Deus na nossa vida! De fato, é justamente isto o que deve acontecer numa comunidade cristã: devemos nos apoiar mutuamente na fé, iluminando-nos um ao outro no Espírito Santo.

A este ponto, Francisco deu um “exemplo” de como este dom funciona na prática e citou uma experiência que teve no confessionário do Santuário de Lujan, na Argentina. Nesta ocasião, na fila havia um rapaz “moderno, com piercings e tatuagens”, o qual confessou um “grande problema”. O próprio rapaz disse que estava ali porque sua mãe o aconselhara a pedir ajuda a Nossa Senhora.

Eis uma mulher que tem o dom do conselho. Não sabia encontrar uma saída para o problema do filho, mas indicou o caminho justo: Nossa Senhora. Este é o dom do conselho, deixar que o Espírito Santo fale. E aquela mulher humilde, simples, deu ao filho o verdadeiro conselho, pois olhando para Nossa Senhora o rapaz entendeu o que deveria fazer. Eu não fiz nada: a mãe, Maria e o rapaz fizeram tudo. Vocês, mães, peçam o dom de aconselharem seus filhos.
Após a catequese, o Papa saudou os peregrinos oriundos de várias partes do mundo. Aos lusófonos, disse:

Saúdo com carinho todos os peregrinos de língua portuguesa, particularmente os fiéis de Leria-Fátima e os diversos grupos do Brasil. Queridos amigos, peçamos ao Senhor o dom do conselho, para que, nas diversas circunstâncias da vida, saibamos encontrar o modo certo de falar e de nos comportarmos, de tal modo que o nosso testemunho favoreça a difusão do Evangelho. Que Deus vos abençoe!

Ao saudar os grupos italianos, Francisco agradeceu a presença da comunidade "San Patrignano", que recupera jovens com problemas de droga. "Saúdo os familiares dos jovens de San Patrignano, aos quais me uno ao dizer 'não' a todo tipo de droga". (BF)



Fonte: Rádio Vaticano 

terça-feira, 6 de maio de 2014

A Coroa Franciscana



COROA DAS SETE ALEGRIAS DE NOSSA SENHORA


FORMA COMUM


1-      No primeiro mistério consideramos a alegria de Nossa Senhora ao ouvir do Arcanjo São Gabriel que fora escolhida por Deus para ser Mãe do Salvador.

(1 Pai-nosso, 10 Ave-Marias e 1 Glória ao Pai)

2-      No segundo mistério consideramos a alegria da Santíssima Virgem em casa de sua prima Santa Isabel, quando foi pela primeira vez saudada como Mãe de Deus.

3-      No terceiro mistério consideramos o inefável gozo de Nossa Senhora no estábulo de Belém, quando seu Filho divino nasceu milagrosamente.

4-      No quarto mistério consideramos a alegria de Nossa Senhora, quando os três magos vieram de longe adorar o Menino Jesus e oferecer-lhe ouro, incenso e mirra.

5-      No quinto mistério consideramos a alegria de Nossa Senhora, quando achou o Divino Menino no Templo entre os doutores.

6-      No sexto mistério consideramos a alegria e o júbilo da Santa Mãe de Deus, quando na manhã de Páscoa viu seu Filho divino ressuscitado e glorioso.

7-      No sétimo mistério consideramos a maior de todas as alegrias de Nossa Senhora, quando morreu santamente e foi levada aos céus, com corpo e alma, acima dos coros angélicos, à direita de seu Filho divino, que a coroou Rainha dos anjos e dos santos.

FORMA ESPECIAL


Após cada Ave-maria acrescenta-se, depois das palavras: ... E bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus:

1º - ... que com grande alegria concebestes do Espírito Santo.

2º - ... que com grande alegria levastes em visita à Isabel.

3º - ... que com grande alegria destes à luz em Belém.

4º - ... que com grande alegria apresentastes à adoração dos Magos.

5º - ... que com grande alegria encontrastes no Templo.

6º - ... que com grande alegria vistes ressuscitado e glorioso.


7º - ... que vos elevou aos céus, ó Virgem Maria.   


Encontro 04.05.2014

Irmãos e Irmãs,

Paz e bem!

No dia 04/05/14 iniciamos com a Celebração Eucarística das 9hs no Santuário São Francisco nosso encontro de fraternidade. Ao final Frei Gustavo Medella, OFM rezou diante de Nossa Senhora de Fátima a consagração juntamente com toda a assembleia. 

Conhecemos os pais e irmão de nosso assistente espiritual. São bem simpáticos. E foram também conhecer nosso espaço da OFS. 

Depois nos dirigimos para o local de encontros e tomamos nosso café da manhã.

Em seguida tivemos a formação preparada pelo Ir. Ivo.

Assistimos a um vídeo sobre a vida do Papa Francisco, iniciando assim nossos estudos sobre a Evangelii Gaudium: Exortação Apostólica sobre o anúncio do Evangelho no mundo atual (24 de novembro de 2013).

Foi muito bom!

Abrimos a rifa em prol da reabertura da igreja e o Ir. Severino foi o ganhador. Parabéns!

À tarde os professos rezaram a coroa franciscana, os formandos e iniciantes tiveram formação específica.

Deus seja louvado!

Maria Nascimento








domingo, 4 de maio de 2014

Papa no Regina Coeli: "Escrituras e Eucaristia indispensáveis no encontro com o Senhor"

Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco rezou a Oração do Regina Coeli na manhã deste 3º Domingo de Páscoa, junto a milhares de peregrinos que lotavam a Praça São Pedro e adjacências. Da janela do apartamento Pontifício, o Santo Padre refletiu sobre a passagem dos discípulos de Emaús, da Liturgia do dia, onde o “partir o pão torna-se o novo sinal da presença de Jesus”. “Palavra de Deus e Eucaristia, nos enchem de alegria”, afirmou. Após a reflexão e a oração do Regina Coeli, o Papa recordou a “grave” situação vivida na Ucrânia e as milhares de vítimas de um deslizamento de terra no Afeganistão.

A reflexão de Francisco foi inspirada no Evangelho do dia, onde “dois discípulos de Jesus, após a sua morte e passado o sábado, deixam Jerusalém e retornam tristes e abatidos, em direção ao povoado, chamado Emaús”. Eles não reconhecem Jesus ao longo do caminho, que inicialmente, então, os ajudam a entender que “a paixão e a morte do Messias estava prevista no plano de Deus e eram pré-anunciadas nas Sagradas Escrituras”. E assim “reascende um fogo de esperança nos seus corações”.

Movidos por uma extraordinária atração por Jesus, os discípulos o convidam para permanecer com eles naquela noite. E quando Jesus está à mesa, “abençoa o pão e o parte, eles o reconhecem, mas ele desaparece de suas vistas, deixando-os plenos de estupor. Após terem sido iluminados pela Palavra, haviam reconhecido Jesus ressuscitado no partir o pão, novo sinal de sua presença”:

“O caminho de Emaús torna-se assim o símbolo do nosso caminho de fé: as Escrituras e a Eucaristia são os elementos indispensáveis no encontro com o Senhor. Também nós vamos frequentemente à Missa dominical com nossas preocupações, as nossas dificuldades e desilusões .... A vida, às vezes, nos fere e nós vamos embora tristes, em direção à nossa ‘Emaús”, virando as costas ao plano de Deus. Mas nos acolhe a Liturgia da palavra: Jesus nos explica as Escrituras e reacende nos nossos corações o calor da fé e da esperança”.

Após, Francisco reiterou a importância da Palavra e Deus e da Eucaristia:


“Palavra de Deus-Eucaristia. Ler cada dia 1 trecho do Evangelho. Recordem bem! Cada dia um trecho do Evangelho. E no domingo comungar, receber Jesus. Assim aconteceu com os discípulos de Emaús. Acolheram a palavra, partilharam o pão e de tristes e derrotados – e assim se sentiam -, tornaram-se alegres. Sempre, caros irmãos e irmãs, a Palavra de Deus e a Eucaristia nos alegram”.

O Santo Padre observou que “na Liturgia Eucarística, Jesus se dá a nós, no Pão da vida eterna. A Missa, presença viva de Jesus ressuscitado – uma presença que se expressa na Palavra e na Liturgia – nos ilumina e nos conduz em direção à Jerusalém, isto é, em direção à comunidade de irmãos e a comunidade dos homens, onde se vive a partilha e a missão”.

Ao concluir, o Santo Padre pede, por intercessão de Maria santíssima, que rezemos para que cada cristão, revivendo a experiência dos discípulos de Emaús, especialmente na Missa dominical, redescubra a graça do encontro transformante com o Senhor ressuscitado. Existe sempre uma Palavra de Deus que nos dá a orientação após as nossas debandadas; e através as nossas fadigas e desilusões existe sempre um Pão partido que nos faz seguir em frente no caminho”.

Ao final do tradicional encontro dominical, o Papa saudou os presentes, em especial a Associação Meter - a quem conclamou a continuar a luta contra todo o tipo de abuso a menores, dizendo um "Obrigado pelo trabalho de vocês!" -, os participantes da Caminhada pela Vida, que "neste ano tem um caráter internacional e ecumênico".

Ele recordou ainda o 90° Dia Nacional para a Universidade do Sagrado Coração. "Rezo por esta grande Universidade, para que seja fiel à sua missão original, e adaptada ao mundo atual. Se Deus quiser, em breve visitarei a Faculdade de Medicina e Cirurgia e o Policlínico Gemelli, que cumpre 50 anos", afirmou.

E por fim, o já tradicional "Bom almoço e até logo!".


Fonte: Rádio Vaticano