sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

JUFRA DO BRASIL ATENÇÃO: CAMPO GRANDE/MS TE ESPERA COM ALEGRIA PARA O CONJUFRA 2016



Nos dias 12 e 13 de dezembro foi realizada visita e reunião com a equipe da organização local do XVI CONJUFRA - Congresso Nacional da Jufra do Brasil que realizar-se-á de 5 a 9 de fevereiro de 2016 em Campo Grande/MS. A secretária nacional da Jufra - Mayara Ingrid não pode participar devido questões familiares. Sendo representada pela secretária de finanças nacional Maria Aparecida Brito.


Após a partilha e análise dos trabalhos das equipes como finanças, liturgia, acomodação, animação e acolhida. Foi orientado e discutido algumas particularidades do evento, o quanto já foi encaminhado e o tanto que falta para fazer. A preparação está a todo vapor. Já estamos em contagem regressiva.






O regional de Campo Grande/MS possui atualmente 4 fraternidades. Observa-se o empenho e a dedicação de muitos jufristas, mesmo a maioria não tendo participado de nenhum encontro a nível nacional. Fizeram um planejamento com eventos para arrecadar recursos para o congresso, buscaram apoio com a OFS e a OFM. Obtendo grande apoio dos Capuchinhos. Empenharam-se no trabalho com a arte dos logos temáticos, inclusive da camisa oficial do CONJUFRA. Estão animados e dispostos em colaborar, pois a missão é servir.




Junto com os membros do conselho nacional estamos todos ansiosos e trabalhando muito para que o XVI CONJUFRA aconteça da maneira mais fraterna, objetivando seguir e trilhar novos caminhos para a Jufra do Brasil, como a 'alegria do evangelho' nos inspira e impulsiona. Nesse congresso também estaremos comemorando os 45 anos da Jufra do Brasil, por isso também mais ânimo e esperança.


Sendo assim, esperamos a presença de todos/as os/as CONVOCADOS/AS e aqueles/as que queiram vir PARTICIPAR COMO CONVIDADO(A) seja bem vindo(a).


Acesse o link e inscreva-se já! Junte-se a nós!




CAMPO GRANDE ESPERA POR VOCÊ!!!






RESERVE A SUA CAMISA


Lembrando que a camisa do CONJUFRA é só R$ 25,00.
INTERESSADOS em adquirir a camisa faça sua reserva entrando em contato informando a quantidade e o tamanho que deseja. Humberto Martins - (67) 9679-7805 (whatsapp) ou pelo email: humberto-ml@hotmail.com
Maricélia Jufra - (67) 9971-3613 (whatsapp) ou pelo email: mariceliamr@hotmail.com


Aqueles que se inscreverem até dia 10/01/2016 receberão a camisa inclusa no kit do congresso.


Sigamos em oração e sintonia pelo bom êxito desse congresso.


Paz e bem!




quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Orientações de evangelização para a Juventude Franciscana do Brasil

 “A Evangelização leva-nos a uma COMUNHÃO COM DEUS E COM AS PESSOAS, como filhos e filhas amados, na medida em que nós, como Igreja vivemos o Mistério da Comunhão no Amor de Deus, Uno e Trino, seremos sinal de Salvação no mundo”.
Qual é nossa missão? É Anunciar o Evangelho a toda a criatura. “Ai de mim se eu não anunciar o Evangelho” (1 Cor 9,16).
1º - A JUFRA é uma FRATERNIDADE de jovens leigos (as) inspirados pelo Espírito Santo para uma constante busca de viver profundamente o Batismo avançando nas águas mais profundas no carisma missionário franciscano e assumindo na comunidade o compromisso do seguimento de Jesus Cristo, que brota do seio de Deus o AMOR, a CONTEMPLAÇÃO e a MISSÃO, e se revela na vida de Jesus Cristo, o Missionário do Pai, os mistérios de Deus.

Os (as) irmãos (ãs) da JUFRA tornam essa missão realidade, através de uma profunda experiência cotidiana de amor ao Cristo, pobre, humilde, crucificado e ressuscitado presente na santa EUCARISTIA, e em todas as pessoas humanas, sem distinção de cor, raça, sexo, religião, posição social ou nível econômico, mas com especial atenção aos mais simples e carentes, inspirados sempre pela espiritualidade de nosso Seráfico Pai São Francisco. Além disso, os (as) irmãos (ãs) da JUFRA sempre procurarão, de acordo com sua realidade, unindo com métodos diversificados e comuns, para tornar efetiva, a missão evangelizadora, própria de todos os discípulos e discípulas de Cristo, buscando sempre a santidade, possível em todos os estados de vida, sendo que todos os Jufristas nas suas respectivas etapas da formação são considerados missionários.
 
I - OBJETIVOS
3º - Os objetivos da orientação de evangelização para JUFRA, são para formar Jufristas em todos os aspectos da vida principalmente na espiritual e humana, para que amadurecidos na fé e na vida, possam comprometer-se com a pessoa de Jesus Cristo na construção do seu Reino definitivo buscando viver uma vida simples e santa testemunhando e anunciando o amor de Deus no mundo.
4º - Os (as) irmãos (ãs) da JUFRA, haverão de evangelizar todo o povo de Deus, com renovado ardor  missionário, sempre “ATENTO AOS SINAIS DOS TEMPOS”, buscando recriar o seguimento de Cristo, através da inculturação do Evangelho, de uma vida simples, abraçando a pobreza evangélica, como sinal profético da presença do Reino de Deus no mundo.
5º - A JUFRA do Brasil haverá de formar e amadurecer os jovens para que sejam protagonistas da ação evangelizadora na Igreja do Brasil nas suas respectivas áreas de atuação.
6º - Os (as) irmãos (ãs) da JUFRA deverão contribuir para a dinamização das atividades evangelizadora e pastoral em sua Igreja local, através do engajamento ativo na comunidade eclesial. Todos os jovens da JUFRA no Brasil terão como primeiro campo de missão sua família dando seu testemunho pessoal na sua casa e em seguida na Paróquia, devendo, portanto, estarem engajados em algum serviço pastoral.
-  Desenvolver na fraternidade uma vida de irmãos fraternos dos que vivem em comunidade de amor. Levando para o mundo a mensagem de unidade na diversidade.
8º - Cooperar sempre na defesa da vida, da ecologia, dos direitos humanos e da família, participando de atividades ou desenvolvendo na medida do possível projetos na linha da educação formal ou informal e profissionalizante, na educação pela arte e pela saúde, que isso se proponham, sempre levando em consideração nosso carisma e a espiritualidade.
- Utilizar as diversas expressões artísticas como veículo de Evangelização, sem nunca desligar esta prática do nosso carisma e espiritualidade. Transformando a musica, a poesia, a cor e o movimento em instrumentos que possibilitem a experiência de homens e de mulheres com Deus, que é o autor da vida, aquele que nos pintou com perfeição.
10º - A JUFRA, sem jamais diminuir seu zelo e seu empenho na ação evangelizadora, haverá de comprometer-se também, enviando jovens a outros lugares e articular a participação em MISSÕES POPULARES na comunidade paroquial ou em outros lugares quando possível e solicitado.
11º - Colaborar ativamente para a animação da vida litúrgico-sacramental nas paróquias e comunidades, onde  a JUFRA do Brasil estiver inserida e presente.
12º - Proporcionar aos irmãos da fraternidade formação voltada para a missão e evangelização tendo como temas básicos: relações humanas, político-social, eu e a bíblia, pastorais sociais, catequese, celebrações litúrgicas, franciscana/missionária, e ecumênica para ajudar na inserção, conhecimento e manutenção do serviço da ação evangelizadora.
II - OS PRINCÍPIOS DA EVANGELIZAÇÃO
13º - A JUFRA no Brasil, por meio da evangelização, haverá de empenhar-se também na criação  organização e acompanhamento das novas fraternidades que poderão surgir através da evangelização ativa no qual o secretariado regional será o primeiro responsável em dar todo e qualquer apoio.
14º - As Comunidades Eclesiais de Base (Ceb’s) que são redes de pequenas comunidades, tornando viva a dinâmica do Evangelho. Estando os missionários da JUFRA engajados e comprometidos com a “opção preferencial pelos pobres”, numa busca constante de ligar fé e vida, aliem-se àqueles que constituem a base da pirâmide social.
15º - Para fomentar na Igreja o jeito de ser das Ceb’s, em comunhão com os pastores da Igreja, a JUFRA no Brasil, haverá de lutar incansavelmente para que: Na Fraternidade haja um verdadeiro compromisso em promover o engajamento nas comunidades eclesiais de base, através de seu compromisso assumindo uma ajuda na formação e animação em encontros das comunidades sem prejudicar a vida da fraternidade que é a unidade básica de vivencia do carisma franciscano.
16º - Os (as) irmãos (ãs) da JUFRA, sempre alimentados pela ORAÇÃO, pela SAGRADA ESCRITURA e pela EUCARISTIA, buscarão viver continuamente a solidariedade com os excluídos e marginalizados da sociedade.
17º - Todos os (as) irmãos (ãs) da JUFRA deverão se reunir uma vez por mês para que fortalecidos com momentos fortes de oração e contemplação planejem ações evangelizadora.
18º - O Assistente Espiritual e Animador Fraterno serão orientadores como também fazem parte das atividades missionárias a serem realizadas pela fraternidade.
19º -  Que os (as) irmãos (ãs) da JUFRA dediquem-se na evangelização ao serviço pastoral e comunitário sem prejudicar sua vida pessoal e familiar, suas atividades profissionais, condições financeiras, ou relação matrimonial. Realizando suas atividades profissionais e provendo seu próprio sustento, sem esquecer de que o mundo precisa ardentemente de sua presença ativa e de seu testemunho pessoal de vida.
20º -  Sendo proveitoso para o crescimento do Reino de Deus a fraternidade deverá, dentro de suas possibilidades nos seus repetíveis níveis ter um (uma) Subsecretario (a) de Ação Evangelizadora dedicado ao serviço da evangelização, trabalhando em atividades, projetos ou empreendimentos desenvolvidos pela fraternidade. A Subsecretaria de Ação Evangelizadora será coordenado por um Jufrista que tenha compromisso e uma boa caminhada na JUFRA que dá testemunho de vida para os irmãos e para o mundo.
21º - Além das reuniões para oração e formação, a fraternidade deverá encontrar-se também em momentos para o lazer e recreação, que ajuda aos jovens a vivenciarem toda a formação que receberam e mostrando ao mundo uma nova maneira saudável de brincar e se divertir sem agredir a si e ao próximo podendo ser outro instrumento de evangelização: as descontrações fraternas.
22º - Os (as) irmãos (ãs) da JUFRA devem viver a liberdade de consciência, podendo exercer em suas respectivas localidades atividades políticas e sociais, lutando sempre pela justiça social, a paz e a cidadania, levando em consideração nosso carisma e espiritualidade, de modo que não atrapalhe o  chamado fundamental de Deus e de sua vocação.
23º - A JUFRA sendo uma fraternidade de jovens leigos (as), terá um compromisso. Os jufristas serão Missionários e Missionários que se doam à obra das MISSÕES, aos serviços da JUFRA da Igreja e da sociedade. Que buscam viver o mesmo carisma e espiritualidade lembrando sempre dos Conselhos Evangélicos, pobreza, obediência e castidade trazendo para a realidade dos leigos (as), recebendo formação específica na sua caminhada missionária, sendo aqueles e aquelas que assumem, na íntegra, todo o ser de pertencer e existir a JUFRA do Brasil.
III - O CARISMA DA JUFRA PARA EVANGELIZAÇÃO
24º - Os (as) irmãos (ãs) da JUFRA são chamados pelo Espírito Santo para testemunharem e anunciarem o AMOR DE DEUS ao seu povo através do acolhimento, do serviço e da simplicidade de suas vidas, no desempenhar de suas atividades profissionais, de sua vida familiar e social do seu testemunho na oração e no engajamento eclesial.
25º - Para vivenciar o carisma na JUFRA, os (as) irmãos (ãs) poderão utilizar todos os meios disponíveis e lícitos, tais como: arte, encontros, retiros, trabalhos em instituições educacionais ou hospitalares, de assistência social, e meios de comunicação acessíveis a sua realidade local.
IV - A ESPIRITUALIDADE DO JUFRISTA MISSIONÁRIO
26º - Os (as) irmãos (ãs) da JUFRA devem cultivar uma intensa vida espiritual, alimentada pela ORAÇÃO, pela PROCLAMAÇÃO E MEDITAÇÃO DA  PALAVRA DE DEUS, pela EUCARISTIA e pela PARTICIPAÇÃO COMUNITÁRIA. Cada irmão (ã), diariamente, de acordo com suas possibilidades, dedique algum tempo do seu dia  ao silêncio, à oração, e à união intima com Jesus.
27º -  Deverão ser lembradas e celebradas datas que são importantes para o Jufrista: Festas da Família Franciscana e Festas da Igreja.
V - CARACTERÍSTICAS DO JUFRISTA MISSIONÁRIO

28º -  Os (as) jufristas quando estiverem em missão devem sentir-se inspirados e atraídos por Deus e por sua luz, respondendo generosamente a esse chamado. Que ele ou ela não vá para a missão por conta próprio na busca de solucionar todos os problemas do mundo, e que sua missão seja encarada com amor, pois essa é a sua vocação. Esteja sempre na presença de Deus, buscando sempre o discernimento e impulsionado a ir com cuidado ao encontro do outro, do diferente.


29º Na sua missão espiritual sejam construtores do Reino de Deus no coração dos homens; levando Deus às pessoas e as pessoas a Ele; Vivendo tudo por amor de Deus; e partilhando o bem que recebeu Dele com fé.

30º -Devendo sempre estar atento à sua missão sendo um enviado de Deus. Reserve na fraternidade a prioridade sobretudo atividades pastorais; Conheça com sensibilidade as necessidades locais; Seja discípulo e ponha-se ao serviço; Sair do comodismo de sua casa e abra-se ao diálogo respeitando tudo e todos vivendo seu serviço com relação fraternal.

31º -Trabalhando para implantar novas fraternidades da JUFRA dando a conhecer a Jesus através de Francisco e Clara; encarnando o carisma franciscano por onde passar com seu testemunho de vida; suscitar vocações e acompanhar os novos jovens; colaborar com o crescimento da Família Franciscana (OFS/JUFRA) na promoção vocacional. Evangelizando com a vida, com o testemunho e com um bom exemplo. Que você esteja numa fraternidade para viver sua fé do que para levar seus interesses pessoais; se converta antes de converter os outros. 

32º -Anunciando Jesus e sua palavra salvifica, transmitindo aos outros o Jesus que vive em você, com palavras breves e sensatas. Una ação à contemplação, colaborando com Deus e seu projeto; sua força está na oração, na leitura da Palavra de Deus e na Eucaristia; seja um jovem de fé, anunciando Jesus sempre com alegria e amor.
 
VI - A IDENTIFICAÇÃO DO JUFRISTA MISSIONÁRIO

33º - Os (as) irmãos (ãs) da JUFRA serão identificados pelo uso diário do TAU que será de madeira em um cordão simples, na qual estará presente o símbolo do franciscanismo, símbolo do amor e entrega total.
O TAU será símbolo comum a todos os (as) irmãos (ãs) da JUFRA nas diversas etapas da formação.

34º - Os (as) irmãos (ãs) da JUFRA, assumirão estas orientações como fonte inspiradora para as ações evangelizadoras da Fraternidade, ficando abertas à procura de outras fontes de pesquisas para ajudar na formação e missão.

35º – Estas orientações de evangelização ajudará no amadurecimento do (a) jufrista sendo utilizado por todas as Fraternidades da Juventude Franciscana do Brasil, nos diversos níveis, naquilo que o couber.


Fortaleza, Ceará, 23 de setembro de 2006.


Marcio William Alencar de Castro

Subsecretário Nacional de Ação Evangelizadora da JUFRA do Brasil














Por uma Juventude Franciscana ‘em saída’

mayara
Moacir Beggo

De 5 a 9 de fevereiro, a cidade de Campo Grande (MS) será a capital da Juventude Franciscana durante o XVI Congresso Nacional Ordinário e Celebrativo dos seus 45 anos de vida e missão no Brasil. Para falar um pouco desses jovens que se encantam e vivem o carisma de São Francisco e Clara de Assis, a secretária fraterna nacional, a maranhense Mayara Ingrid Sousa Lima, foi muito generosa e conseguiu um tempo para dar essa entrevista ao site Franciscanos. Aos 28 anos, Mayara é um exemplo da juventude que batalha e acredita no ideal franciscano, tão atualizado pelo Papa Francisco, conseguindo reunir forças para fazer a animação nacional da Juventude Franciscana e ainda se dedicar ao trabalho como bióloga e doutora em Genética, professora e pesquisadora da Universidade Federal do Maranhão. Segundo Mayara, uma nova Coordenação Nacional será formada a partir deste Congresso para o triênio 2016-2019.

Nesta entrevista, Mayara fala dos problemas, alegrias e desafios da Juventude Franciscana e diz que o Papa Francisco é uma grande inspiração para os jufristas e para todo o mundo: “Estamos tentando fazer o que o Papa nos orienta, mostrando que devemos ir às periferias do mundo, ao encontro dos mais pobres e marginalizados”. Atualmente, a Jufra reúne em 122 fraternidades, nos 18 regionais, 2.273 jovens, sendo 1.178 mulheres e 1.095 homens. “Quando dividimos nossos jovens por etapa de formação, temos 1.057 jovens iniciantes; isso mostra o grande processo de renovação e expansão que estamos vivenciando”, adianta Mayara. 

Neste Congresso, a caminhada de Mayara na Jufra está chegando ao fim, mas a missão franciscana vai continuar na Ordem Franciscana Secular, o caminho natural da maioria dos jufristas. Acompanhe esta entrevista!

Site Franciscanos – Ao terminar esse triênio, qual o seu olhar crítico e de esperança da caminhada?

Mayara Ingrid Sousa Lima
– Primeiro, termino esse triênio com a sensação de dever cumprido, pois com certeza muitos passos positivos foram dados na caminhada da Jufra. Tenho a esperança de continuidade dos trabalhos através daqueles que irão nos substituir, especialmente com a preocupação de ter na Jufra um local de acolhimento para os jovens que desejam viver o carisma franciscano, com uma presença ativa na Igreja e na sociedade. Temos consciência que muito ainda precisa ser feito, especialmente na reestruturação de alguns regionais, que devem ser mais bem acompanhados, a fim de que seja possível um processo de expansão. Do ponto de vista pessoal, minha esperança é dar continuidade à minha vocação franciscana na Ordem Franciscana Secular, caminho natural de muitos jovens jufristas.

Site Franciscanos – Como você vê a Juventude Franciscana do Brasil? Seus problemas, alegrias e desafios.

Mayara
– A Jufra atualmente tem vivido um momento de bastante fervor, com ênfase nas atividades voltadas para as questões sociais, ambientais e na ação evangelizadora. E também um grande amadurecimento do seu processo formativo, a fim de ter jovens preparados como lideranças conscientes e protagonistas do seu papel na caminhada. Além de ter fortalecido o diálogo com diversos ramos da Igreja e da Família Franciscana, a fim de buscar parcerias e apoio para as diversas atividades que temos desenvolvido em nível nacional, regional e local. Acreditamos que os principais desafios da Jufra estejam em conseguir fortalecer as fraternidades locais, a fim de que todas tenham consciência crítica e entendimento da nossa caminhada, ou seja, fazer com que tudo que é produzido em nível nacional chegue a nossas bases de forma contínua. Também é desafiador para nós, jovens, conseguirmos a autossustentação do nosso movimento, especialmente considerando as enormes dimensões do nosso país e a necessidade de acompanhamento dos jovens em diferentes realidades. Em linhas gerais, vemos a Jufra crescendo e despertando cada vez mais nos jovens a importância de serem comprometidos com o carisma franciscano, levando-o a todos os espaços, tanto na Igreja quanto fora dela, como uma juventude “em saída”.

Site Franciscanos – O jovem hoje no Brasil pode ter a Jufra como um modelo?

Mayara
– Com certeza a Jufra é um modelo para as juventudes de um espaço onde o jovem pode assumir seu protagonismo na Igreja e na sociedade. Como disse João Paulo II, a Jufra apresenta-se: “Como um ideal luminoso para a juventude”. A Jufra é um espaço onde o jovem pode se formar, exercer suas habilidades e se desenvolver. É também um espaço propício para um despertar vocacional, em todos os sentidos de suas vidas. Os jufristas com certeza são modelos para diversos jovens pela ousadia, pela responsabilidade, pelo comprometimento e adesão a uma causa para viver. Isso faz com que outros jovens desejem vivenciar o carisma franciscano na Jufra.

Site Franciscanos – Como ser um jovem franciscano neste mundo?

Mayara
– A palavra que resume a presença dos jovens franciscanos neste mundo é participação efetiva. Assumindo causas pra lutar, estando presente nos debates, contribuindo com as pastorais de nossa Igreja. E levando os ideais franciscanos para o mundo, expandido a busca pela paz, justiça, cuidado com a criação, minorismo, pobreza e fraternidade. Os jovens franciscanos devem ser luzes para todos, pois o mundo “cabe a nós salvá-lo ou perdermo-nos com ele” (Manifesto da Jufra). E nesse sentido, o jovem franciscano tem uma responsabilidade muito grande, pois queremos viver nosso compromisso de vida e missão em fraternidade, sendo um exemplo de vida para o mundo.

Site Franciscanos – Como você consegue fazer um trabalho de animação num país tão grande como o Brasil?

Mayara
– Este é com certeza um grande desafio, mas para que esse acompanhamento seja efetivo temos uma organização própria de divisão dos trabalhos. Em nível nacional existe uma coordenação, chamada de secretariado fraterno, e formada por 13 jovens que dividem os trabalhos em secretarias específicas. Isso é reproduzido nos 18 regionais que possuem secretariados fraternos regionais, assim temos as coordenações regionais. E em cada fraternidade local também existe um secretariado fraterno. Assim, conseguimos dividir todas as tarefas. Além disso, a internet tem facilitado muito nossa comunicação e a animação das fraternidades em todo o Brasil. Hoje temos uma rotina de reuniões “onlines” através das redes sociais e muitos grupos de acompanhamento no whatsapp. Essa acaba se tornando umas das principais ferramentas de acompanhamento das fraternidades.

Site Franciscanos – Como é o relacionamento da Jufra com a OFS, Primeira Ordem e Segunda? O jufrista tem a OFS como um modelo?

Mayara – A Jufra tem dialogado muito com a Primeira Ordem, melhorando cada vez mais nosso relacionamento, através de cartas, visitas e encontros. Além de termos o acompanhamento de um assistente espiritual religioso. Essa maior proximidade foi com certeza um grande avanço dos últimos anos. Com a Segunda Ordem nosso relacionamento se dá através de visitas às Clarissas, nos locais ontem temos fraternidade de Jufra e mosteiros, e com certeza é um relacionamento baseado na alegria e nas orações. Com a OFS nosso relacionamento é bastante estreito por natureza, especialmente por que a caminhada formativa de nossos jovens termina com a profissão na OFS, e nesse sentido fica evidente o porquê de nossos jovens terem a OFS como um modelo de vida franciscana secular.

Site Franciscanos – Como o jufrista recebe o Papa Francisco?

Mayara - Nós recebemos o Papa Francisco com muito entusiasmo e esperança, pois ele nos aponta que estamos no caminho certo. Ele é uma grande inspiração para nós, jufristas, e para todo o mundo. E estamos tentando fazer o que o Papa Francisco nos orienta, mostrando que devemos ir às periferias do mundo, ao encontro dos mais pobres e marginalizados. Com certeza, o Papa através de suas falas nos impulsiona a continuar caminhando.

Site Franciscanos – Como você se tornou jufrista? Conte um pouco sua história.

Mayara – Eu me tornei jufrista aos 16 anos quando recebi um convite para visitar “um grupo de jovens” na comunidade do Barreto, em São Luís do Maranhão. Desde o primeiro dia me apaixonei e entendi o sentido da fraternidade. Num espaço muito curto de tempo já conhecia várias fraternidades no Maranhão e comecei a ajudar na formação. Para minha surpresa, quando estava com apenas três anos na Jufra, fui eleita para assumir meu primeiro serviço no Secretariado Nacional, sendo responsável pela área Nordeste A. Depois disso, já são nove anos dedicados à Fraternidade Nacional da Jufra, como secretária de área, formadora nacional e agora secretária fraterna. Nesse período, fui um pouco andarilha, devido aos meus estudos na pós-graduação, e acabei participando da Jufra e OFS no Maranhão, Bahia e Minas Gerais, por isso digo que me sinto literalmente pertencendo a uma fraternidade nacional. Agora, acredito estar finalizando minha caminhada na Jufra, mas continuando minha missão franciscana por vocação na OFS.

Site Franciscanos – O que você apresentaria a Juventude Franciscana a um jovem?


Mayara – Eu diria a ele que se sinta convidado a viver uma experiência franciscana na Jufra. Com certeza, ele será muito bem acolhido e irá encontrar irmãos e irmãs para toda a vida. Jovem, Francisco de Assis viveu uma experiência única em sua vida, encontrando no Evangelho de Cristo tudo aquilo que ele desejava viver. Nós, hoje, também podemos viver essa experiência de fraternidade, atualizada na nossa realidade e nos desafios que a Igreja e a sociedade nos interpelam. Faça essa experiência, que, com certeza, mudará sua história. Venha fazer parte dessa família!

Fonte: http://www.franciscanos.org.br

CARTA CONVITE/AJUDA À FAMÍLIA FRANCISCANA PARA O CONGRESSO NACIONAL DA JUFRA


XVI CONGRESSO NACIONAL ORDINÁRIO E CELEBRATIVO PELOS 45 ANOS DA JUFRA DO BRASIL


(05 a 09 de fevereiro de 2016)


Tema: Jovens líderes a serviço do evangelho
Lema: “Sou muito jovem, não sei falar. Não tenhas medo, vou te guiar!” (Jr 1,7-8).

CARTA CONVITE/AJUDA
São Luís, 10 de janeiro de 2016.


Caros irmãos e irmãs que compõe a Conferência da Família Franciscana do Brasil nas diversas ordens, congregações e institutos,


Paz e bem!


É com muita alegria e entusiasmo que venho, em nome da Juventude Franciscana, comunicar e convidar vocês para o XVI Congresso Nacional Ordinário e Celebrativo pelos 45 anos da Juventude Franciscana do Brasil, a ser realizado entre os dias 05 a 09 de fevereiro de 2016 na cidade de Campo Grande / MS.


O Congresso Nacional é o órgão administrativo de maior importância da JUFRA do Brasil onde serão eleitas as lideranças que formarão a nova Coordenação Nacional para o triênio 2016-2019. Vamos também celebrar os 45 anos da Juventude Franciscana no Brasil, um momento de reafirmamos os alicerces construídos ao longo desses anos de caminhada com a luta incansável de tantos jovens. Momento de nos alegrarmos com essa linda história e de celebrarmos a vida, a fraternidade e tudo que acreditamos como cantamos no hino dos 40 anos:“JUFRA construindo o Reino nos Caminhos da História”.


Desejamos que nossa Família Franciscana esteja em sintonia com esse momento ímpar da nossa caminhada, sinal de esperança e luz para esta grande fraternidade. Além disso, contamos com vossa generosidade e ajuda, pois estamos com muitas limitações financeiras para realizar esse encontro. Diante disso, viemos humildemente pedir vossas doações que podem ser feitas com qualquer valor na conta da JUFRA do Brasil: Caixa Econômica Federal, Agência-3056; Operação-013; C/P-00010464-2. Tudo que recebemos representa o sinal vivo de partilha e generosidade. Retribuímos com nossa eterna gratidão.


Contamos com apoio e orações de nossa família. Maiores informações e envio de mensagens para o congresso devem ser feitas pelo email: conjufra2016@hotmail.com

Fraternalmente,


Mayara Ingrid Sousa Lima, OFS/JUFRA.

Secretária (Presidente) Fraterna Nacional da JUFRA do Brasil

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Jufra - Etapas da Formação

a) A Jufra do Brasil tem em suas Diretrizes da Formação as seguintes etapas: Formação Básica da Jufra; Etapa da Formação Franciscana; e Formação do Jufrista Professo.

b) Compete ao Secretariado Regional a preparação e execução do Encontro Inicial, bem como o acompanhamento de cada Etapa da Formação.

c) No caso de não haver um regional estruturado, cabe à Subsecretaria de Área, com a colaboração do Regional da OFS, a preparação e execução do Encontro Inicial, bem como o acompanhamento de cada Etapa da Formação.

Fonte: http://www.franciscanos.org.br

Jufra - Diretrizes da Formação da Jufra do Brasil

1. Definição
As Diretrizes da Formação da Jufra são orientaçãoes para as diversas etapas da caminhada formativa do (da) jufrista.

2. Objetivo geral
Levar o (a) jufrista, através das etapas da formação, a um aprofundamento e vivência dos valores humanos e cristãos, bem como a um discernimento, crescimento e compromisso com a vida franciscana secular e com a Igreja.

3. Objetivos específicos

As Diretrizes da Formação da Jufra pretendem:
a) Despertar e vivenciar o carisma franciscano secular;
b) levar o (a) jufrista a um compromisso de vida Evangélica em fraternidade, segundo o carisma franciscano, criando condições para a profissão na OFS;
c) Conscientizar o (a) jufrista para o espírito da oração que conduza à unidade entre a fé e a vida;
d) aprofundar a dimensão sócio-político-econômica, religiosa e cultural, capacitando o (a) jufrista a adquirir uma visão crítica da realidade e reconhecer-se como sujeito de transformação dessa realidade, tendo como referencial o Evangelho de Jesus Cristo;
e) Conscientizar o (a) jufrista da necessidade de sua inserção no mundo, através da participação ativa, individual e coletiva na sociedade;
f) comprometer o (a) jufrista com o processo de renovação da OFS;
g) Estreitar o relacionamento do (da) jufrista com sua família e das famílias entre si;
h) Levar o (a) jufrista a inserir-se na Pastoral Orgânica da Igreja, dentro do espírito de comunhão e participação.

Fonte: http://www.franciscanos.org.br

Jufra - Definição

A OFS, em todos os níveis, deve promover a vida franciscana entre os jovens, dando atenção especial à Jufra, pela qual é especialmente responsável, segundo as Constituições Gerais aprovadas pela Santa Sé.

Para que a caminhada da Jufra com a OFS progrida sempre mais, as Fraternidades locais criarão espaço para os jovens, seja no acolhimento, seja na dinâmica das reuniões, seja garantindo-lhes tarefas concretas dentro da Fraternidade. Os membros das Fraternidades sejam mentalizados no sentido de que a Fraternidade não precisa ser monolítica em sua organização, pois, pode ser organizada de diversas formas, inclusive em grupos, para melhor cultivar a vida fraterna (cf. Regra, n. 21c).

Os jovens, por sua vez, sejam incentivados a acolherem os mais velhos e procurarão colocar-se a serviço dos idosos e enfermos, bem no espírito de São Francisco e do Evangelho.

A Jufra do Brasil está dividida por faixa etária (idade)

Micro-Jufra: de 8 a 12 anos (até a 1ª Eucaristia);
Mini-Jufra: de 12 a 15 anos (até a Crisma);
Jufra: de 15 a 30 anos (até a idade-limite ou o casamento)

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

1º mutirão na Fraternidade Chagas - 2016

Irmãos e irmãs,
Paz e bem!

Aconteceu no dia 23/01/16 a realização do 1º mutirão nas dependências da Igreja das Chagas:

- Carregar entulho e organizar espaços.

Logo cedo os irmãos começaram a chegar para o trabalho.

Tomamos café e logo em seguida trocar de roupas e mãos à Obra!

Num clima de muita alegria e descontração trabalhamos até ás 13 horas ensacando e carregando entulho, varrendo, passando pano no chão, guardando coisas...

Mas o peso do trabalho não tirou o bom humor e a alegria.

A alegria da Vida em fraternidade!

Ao final da manhã, cansados, sujos e com muita fome... saboreamos um delicioso almoço preparado com muito carinho por nossas irmãs  da cozinha!

Agradeço aos irmãos e irmãs que participaram, aceitaram o convite e estiveram conosco no 1º Mutirão da Fraternidade Chagas em 2016.

Acontecerão outros... Há um longo caminho para deixar a casa em ordem!

Que Deus em sua infinita bondade e misericórdia conceda a todos que trabalharam muitas bênçãos e graças.

Fraternalmente,

Maria Nascimento         









domingo, 24 de janeiro de 2016

Eleito o Novo Governo Provincial

Logo após a Celebração Eucarística deste domingo, 
realizada no Seminário Santo Antonio em Agudos,
os 145 capitulares se reuniram para definir o novo governo provincial.
Com Frei Fidêncio, reeleito Ministro Provincial , 
estará o Vigário Provincial Frei Evaristo Spenger
.
Para Definidores, foram eleitos:
Frei Cesár Kulkamp, 
Frei João Mannes, 
Frei Gustavo Medella, 
Frei João Francisco da Silva,
 Frei Paulo Pereira 
e Frei José Francisco de Cássia dos Santos


Frei Fidêncio


Frei Evaristo Spengler, eleito com 74 votos


Frei Cesar eleito com 87 votos


Frei João Mannes reeleito com 99 votos


Frei Gustavo Medella eleito com 100 votos


Frei João Francisco eleito com 82 votos


Frei Paulo Pereira eleito com 85 votos


Frei José Francisco eleito com 72 votos

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Frei Fidêncio é reeleito Ministro Provincial

                                             

Numa eleição disputadíssima, somente em terceiro escrutínio, foi reeleito nesta quinta-feira, 21 de janeiro, no Seminário Santo Antônio de Agudos (SP), Frei Fidêncio Vanboemmel para o serviço de Ministro Provincial da Província Franciscana da Imaculada Conceição.

A eleição começou às 16h30 com a apuração dos votos de 272 frades que receberam as cédulas antes de iniciar o Capítulo com os cinco nomes homologados pela Cúria Geral dos Frades Menores, que são: Frei César Külkamp, Frei Estêvão Ottenbreit, Frei Evaristo Spengler, Frei Fidêncio Vanboemmel e Frei Paulo Pereira. Nesta apuração, não se conseguiu dois terços do total dos votos. A partir de então, a eleição ficou na mão dos capitulares. No primeiro escrutínio, de 143 votos dos capitulares, não se obteve a maioria absoluta dos votos (metade mais um). A eleição foi para o segundo escrutínio e novamente não se conseguiu a maioria absoluta. Em terceiro escrutínio, a eleição ficou para ser decidida entre os dois mais votados: Frei Fidêncio com 67 votos e Frei Evaristo com 58 votos. Venceu Frei Fidêncio com 82 votos contra 61 de Frei Evaristo, sendo um 01 nulo.

Catarinense, natural da cidade de Santo Amaro da Imperatriz, Frei Fidêncio tem 64 anos e há 43 anos ingressou na Ordem Franciscana, quando vestiu o hábito de São Francisco de Assis no dia 20 de janeiro de 1974. Professou solenemente na Ordem dos Frades Menores no dia 2 de agosto de 1978 e foi ordenado presbítero no dia 14 de dezembro de 1979. “Sou filho de agricultores, voltados para o árduo trabalho. Dos pais aprendi a disciplina, o rigor, a ternura e a fé. Depois, a minha vida foi se moldando dentro da Província, como seminarista e frade. Ao me formar dentro da Província, também adquiri o seu rosto, principalmente a formação que recebi dos meus mestres e irmãos”, define-se.

Durante 23 anos, Frei Fidêncio trabalhou na formação franciscana até ser eleito Ministro Provincial no Capítulo Provincial de 2009. “Ao terminar a teologia em Petrópolis eu era candidato a trabalhar numa casa de formação da Província. Na época conversei com o Ministro Provincial, Frei Basílio Prim, suplicando para fazer uma experiência pastoral para ajudar a vencer a timidez. Fui então transferido para a Paróquia de Campos do Jordão, no início de 1981 e lá permaneci até 1985. Depois, a partir de 1986, começou minha trajetória como formador: meio ano em Lages, 1 ano e meio em Petrópolis, 2 anos de estudos em Roma em vista da formação, 7 anos em Rondinha, 3 anos em Guaratinguetá e nos últimos 9 anos mestre em Rodeio”.


Na sua última entrevista, antes deste Capítulo, ao fazer uma prestação de contas de seu governo, deu um parecer do serviço de Ministro Provincial: “Creio firmemente que este serviço à Província seria impossível sem a confiança na Graça de Deus. Os muitos questionamentos que a gente se fez, não diferentes dos questionamentos de Maria Santíssima (Como pode? Como vai ser? Como, se eu não conheço? Etc.), principalmente os que me surpreendiam neste ‘encargo de lavar os pés’, se tivesse de respondê-los somente a partir da minha fragilidade humana, as respostas seriam uma desgraça para a Fraternidade Provincial. Portanto, como outrora para Maria, hoje também para o Ministro: sem a graça de Deus, impossível!”

Claudete L. Martins
Comunicação Regional Sudeste III/SP